Publicado por: Filipe de Arede Nunes | 02/04/2010

Varino Amoroso & Companhia!

Será que ainda alguém se recorda desse ícone da cultura seixalense que é o Varino Amoroso?

Há mais de um ano atrás escrevemos sobre estas e outras embarcações que estariam – ou deveriam estar – em processo de recuperação para navegar.

Imaginamos (porque desconhecemos os mapas de execução orçamental do exercício de 2009 da Câmara Municipal do Seixal), que nem um cêntimo tenha sido gasto na recuperação de alguma das embarcações históricas referenciadas nas Grandes Opções do Plano de 2008 e 2009.

A grande questão no que a este e outros assuntos diz respeito é que o munícipe não pode estar nesta situação de desconhecer o que é feito com o dinheiro dos seus impostos. Porque senão vejamos:

  1. No ano de 2009 (a título exemplificativo porque verbas para estes assunto já são referenciadas em orçamentos anteriores) estava previsto ser gasto um valor de € 218.000,00 (duas rubricas diferentes, uma com uma dotação de € 88.600,00 e outra com uma dotação de € 130.000,00) no Varino Amoroso;  € 240.000,00 no bote fragata Gaivotas (mais € 120.000,00 em 2010); € 15.000,00 no bote fragata Baia do Seixal (mais € 15.000,00 em 2010); (vide página 33)
  2. No ano de 2010 as verbas são diferentes. No Varino Amoroso prevêem-se gastar € 129.984,00 (as GOP de 2009 apenas previam que se gastasse em 2010 € 5.000,00 o que dá uma diferença de apenas mais € 125.000,00!); no bote fragata Gaivotas € 140.000,00 (mais uma verba de € 100.000,00 em 2011); e no bote fragata Baia do Seixal € 9.480,00. (vide página 37)

Estamos a fazer referencia a valores muito significativos e não meros tostões! É que para o ano de 2009 estavam orçamentadas dotações de cerca de € 475.000,00 e para o ano de 2010 de verbas de aproximadamente € 280.000,00.

Face a tudo isto há que deixar a questão: que é feito das embarcações tradicionais do Tejo que todos os anos recebem dotações milionárias sem se seja possível à população beneficiar das mesmas? Onde e de que forma está a ser gasto o dinheiro dos nossos impostos?


Responses

  1. Delcula lá a ignorância, mas tanto dinheiro para barcos de madeira? Foram feitos pelo Cargaleiro? Se não foram, como sou mais discrecto e não quero tanto dinheiro, ponho lá uma jangada… E quanto custará a recuperação de um barco rebelo? Será que o Rui Rio sabe? e de uma canoa de índios?


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: